A emersão da geração Y no mercado de trabalho exigiu uma atualização no modus operandi das empresas. E com o florescimento dos novos modelos, o bleisure passou a ser cada vez mais empregado nas políticas de viagem a fim de manter a produtividade a partir da manutenção do bem-estar dos viajantes corporativos.

O bleisure – junção das palavras, de origem inglesa, business e leisure (negócios e lazer, respectivamente) – surgiu da ideia de que a saúde mental é importante para os negócios terem um maior rendimento enquanto colaboradores estiverem viajando a trabalho. Cenário, o qual, segundo pesquisa da Global Business Travel Association (GBTA), coloca a experiência da viagem como um item crucial para a satisfação geral do trabalho para três quartos dos viajantes entrevistados (71%).

Mas quais políticas adotar para priorizar o bem-estar?

Primeiramente, a adoção de uma postura de se colocar no lugar dos viajantes corporativos para analisar as dores pelas quais passam é o primeiro passo para, então, pensar nas soluções e praticar o bleisure. Contudo, aqui estão algumas dicas:

1. Pesquisar satisfação dos viajantes

O ramo de gestão de pessoas tem ganhado espaço integrado as mais diversas áreas de atuação, sendo a manutenção do ambiente para a preservação de climas saudáveis um diferencial cada vez mais cobiçado pelas novos candidatos em potencial. A partir de pesquisas e questionamentos regulares sobre a satisfação dos colaboradores, pode-se analisar algumas dores gerais que convergem na análise de dados, identificar vulnerabilidades dos funcionários e, assim, adaptar soluções durante a viagem corporativa.

Dada pesquisa, com viajantes de negócios na América Latina, da GBTA, problemas comuns vivenciados por grande parte dos colaboradores são a falta de agilidade nos processos e o ambiente de trabalho estressante.

Para o primeiro problema, um passo é pensar que não é possível fazer com que aviões, trens e táxis viajem mais rápido, mas é totalmente possível e conveniente deixar a viagem mais interativa. Ou seja, optar por meios de transporte que possuam Wi-Fi, por exemplo, é uma forma de fazer com que o viajante se mantenha conectado e sinta que o tempo não está sendo desperdiçado. E, em caso de longas conexões, optar por salas de espera VIP ou um upgrade para classes superiores pode manter o colaborador mais calmo e confortável.

Já para o segundo, promover as reuniões em lugares não convencionais, como em cafés ou bares com espírito coworking, é uma opção simples que pode fazer toda a diferença no bleisure. E, a partir disso, vamos ao próximo tópico.

2. Conhecer muito bem o destino do viajante

Quanto a localidade, conhecer muito bem o clima do local é um ponto importante. De um dia para o outro tudo pode mudar, então é crucial comparar o clima não só dos últimos e próximos dias, mas até de anos anteriores, para manter um padrão do que é possível de acontecer durante a estadia do viajante. Além de se manter informado quanto a possibilidade de nevascas, tempestades e demais imprevistos que possam vir acarretar mudanças de reservas de voos e demais estresses.

Já quanto ao lazer, pesquisar pontos turísticos e restaurantes para o viajante optar em seu tempo de descanso ou, até mesmo, por propor reuniões ao ar livre é interessante no bleisure. Um guia de viagens é sempre bem quisto, até mesmo nas viagens a negócios.

3. Tecnologia é sempre bem-vinda

Em um cenário em que a praticidade e agilidade são diferenciais competitivos de grande potencial, os apps e os programas personalizados se tornam uma brilhante vantagem no mercado. Ter uma plataforma de gestão de viagens unificada é sinônimo de bem-estar e torna o percurso muito mais leve e prático, por priorizar um planejamento de gestão integrado que facilita (muito!) a vida do colaborador.

Dois pontos importantes, também, são os meios de pagamentos móveis, como PicPay, e hotéis com banco de dados sempre atualizado, já que, depois de uma (ou umas) longa viagem e o jetlag, tudo que o viajante quer é o momento que terá em seu quarto para descansar. E, por falar no sono do colaborador, é importante  pensar em…

4. Priorizar a saúde do viajante mesmo longe de casa

Bleisure traz a noção de lazer às viagens corporativas, mas não há diversão se não houver boa disposição e saúde.

Ter uma boa noite de sono faz toda a diferença, tanto no humor, quanto no rendimento do viajante. Uma pesquisa feita pela Intercontinetal Hotels Group (IHG), por exemplo, aponta que 80% dos viajantes costumam ter problemas para dormir e perdem cerca de 58 minutos de sono por dia. Dada a alta exposição do colaborador a luzes natural e digital, jetlag e possíveis transtornos adversos, ter um cronograma para administrar o tempo de descanso e a exposição a meios digitais é importante para manter tudo em equilíbrio e ter uma produtividade maior.

Além disso, promover hotéis ou casas que tenham ou fiquem próximos a lugares em que o viajante possa se exercitar e manter uma alimentação saudável é fundamental. A ioga, por exemplo, é bem explorada nesse meio e tem tido bons resultados.

5. Considerar possíveis acompanhantes

Não é mais estranho viajantes corporativos viajarem acompanhados de família ou amigos e essa é uma técnica muito explorada, no bleisure, para manter o bem-estar, tendo já algumas Travel Management Companies (TMC) incorporado setores especializados para esse segmento de lazer.

Tempo é dinheiro e o bem-estar gera mais tempo rendido de ação e negócios.

Essas são algumas dicas de bleisure que vão fazer com que sua empresa mantenha o bem-estar do viajante em harmonia para que haja sempre a preocupação para com os colaboradores na política de viagens, além do duty of care.

Para essa parcela dos funcionários que passam por grandes níveis de estresse e são suscetíveis a momentos de extrema ansiedade, a preocupação com bem-estar vai muito além de questões financeiras, visto que interfere na produção e rendimento do trabalho como um todo. Ou seja, preservar a harmonia longe de casa é importante para manter a harmonia dentro de casa e, assim, fazer um bom trabalho geral. Interessado em mais dicas de viagens? Cadastre-se na nossa newsletter aqui ao lado.